29 agosto 2007

Novelas, um mal desnecessário

Enredos e tramas previsíveis? Muito mais previsíveis são os danos causados por essa praga, que há décadas vem acorrentando espectadores aos pés das televisões, ditando moda e distorcendo valores.

Mais cedo ou mais tarde virá uma nova novela das oito. A equipe do Cenas-do-Cotidiano, em um incrível furo de reportagem, conseguiu uma entrevista exclusiva com o autor, que por motivos ainda desconhecidos, entregou de bandeja vários detalhes exclusivos dessa nova trama, que certamente vai prender você e seus familiares na poltrona por meses a fio...

Na base do enredo, haverá uma família rica, poderosa e influente, já que isso não pode faltar. Ocasionalmente, serão também retratadas pessoas “comuns”, embora os diretores conheçam muito bem a preferência dos telespectadores por cenários pomposos, ao invés de oficinas mecânicas e seus funcionários sujos de tinta guache. O patriarca da família rica será um poderoso executivo de uma mega empresa qualquer, cheia de dólares nas ilhas Cayman. O ramo de atuação da empresa não ficará claro para o público, mas seja lá qual for, ela será comandada com braço de ferro pelo poderoso figurão, sempre impecavelmente trajado. Todas as transações retratadas serão realizadas em dólar, já que nesses ambientes não haverá espaço para a moeda tupiniquim.

O figurão logicamente terá uma filha muito bonita, que invariavelmente vai se apaixonar por algum rapaz “humilde”, muito fofo, com cara de teletubie. E como isso vai acontecer? Bom partido evidente, a mocinha já estará prometida em casamento ao filho de outro aristocrata qualquer, cuja identidade não virá muito ao caso. O sujeito, típico mauricinho boa pinta, será malvado, muito malvado. Apesar de já defecar dinheiro, vislumbrará o casamento como um meio de pôr as mãos na bufunfa do velho sogro. A maneira indiferente e insensível do filhote de burguês tratar a mocinha, fará com que ela, já cabisbaixa, passe a prestar atenção ao menino bonzinho com cara de teletubie. O moço vai passar 358 capítulos ciscando o território, sendo vítima de inúmeras tramóias arquitetadas pela mente malévola do namorado oficial, até que, no antepenúltimo capítulo, vai acabar tirando uma casquinha da beldade, chutando de vez bunda do ex-futuro esposo para escanteio.

Em outro canto da vizinhança, um casal vai quebrar o pau regularmente em intervalos pré-definidos pela preferência nacional. Lá pelo vigésimo quinto capítulo irão se divorciar. A mãe vai acabar tendo um caso com o primo da cunhada, o mesmo que acompanhava seu marido nas inúmeras baladas que ele freqüentava às escondidas. As escapadas do marido, em algum ponto obscuro de um passado longínquo, geraram um filho bastardo, que cresceu acreditando ser filhote de chocadeira, resultado de um acidente de laboratório durante as pesquisas do Projeto Genoma. O filho bastardo descobre que não é apenas um filho da mãe, mas que também tem um pai afinal de contas. Vai descobrir também que sua namoradinha de infância, com quem dava altos amassos no pátio da escola é, na verdade, sua irmã.

Nesse ponto, a trama dará uma reviravolta e se encaminhará para seu desfecho. A menina rica se casará com o cinderelo, em uma cerimônia coletiva, junto com mais dois terços do elenco, todos sob regime de separação de bens. O burguesinho traído passará a lavar pratos em um restaurante chinês na Baixada Fluminense, após a fortuna do seu pai evaporar com uma súbita queda da bolsa de Tóquio. O ex-filho de chocadeira, diante do choque causado pela revelação de seu passado negro, muda-se para as ilhas Galápagos, onde funda uma nova seita religiosa, passando a pregar a libertação dos dragões de komodo e das tartarugas gigantes.

E assim terminará mais uma linda história de amor.

O ministério da saúde adverte:
1- Assistir novelas causa sérios danos à integridade mental. Aprecie com moderação, ou de preferência, abstenha-se.
2- Leve a sério o aviso acima, não se trata de ironia ou piada.
3- Não caia na papagaiada de que novela retrata a realidade. As pessoas interpretam o que assistem como sendo realidade, e passam a considerá-la como tal, e não o contrário.
4- Moleques inconsequentes criados por pais bananas não chegam a lugar algum. Em algum ponto de suas vidas serão removidos do tacho pela escumadeira que recolhe a escória.6-Famílias desestruturadas e desmoralizadas geram jovens acéfalos que irão surrar mendigos e empregadas domésticas em pontos de ônibus. Depois ninguém vai entender como universitários de boa família foram capazes de tamanha barbaridade.

13 comentários:

Léo Fernandes disse...

Esse tipo de história, de uma forma ou de outra, existe desde que surgiu a humanidade. Sempre vai ter público.

O que poderia ser feito é melhorar a mensagem transmitida, mas ser honesto e ético, hoje em dia, é visto como coisa de otário.

Mestre Risada Forçada® disse...

Concordo com o que o cara acima disse, ainda pelo ponto de vista de que as SÉRIES AMERICANAS e muitos FILMES DE CINEMA também estão seguindo fórmulas que dão certo há muito tempo, sem serem muito originais.
As novelas são postas como únicas vilãs, quando na verdade, não estão sozinhas.

=P

Pedrotxp disse...

Novelas não são série e nem filmes.. Um dos maiores problemas é que sempre com elencos gigantescos, sem contar o numero exagerado de episódios... o que acontece é isso, as mesmas histórias de sempre, e raramente (mas tem) algumas diferentes no meio que acabam sendo apagadas pela quantidade de informação, que giram em torno da melhor receita para conseguir audiência, amor, sexo, traição etc. Isso não acontece só no brasil, em todos os países do mundo que gravam novelas, o lance é que as novelas sempre foram feitas para mulheres, e principalmente donas de casa desocupadas, sem querer ser machista, mas isso é verdade, o que hoje em dia já não se aplica em totalidade. Enfim, não acho que eles estejam interessados em melhorar, quer ver algo decente? Veja séries ou filmes, e pronto.

Cidão disse...

Eu nunca critico quem gosta de novelas, pois eu sou um viciado em séries de TV. :o)

Japublicidade.com disse...

Concordo em Genero numero e Grau!
Em Absoluto as novelas fazem a lavagem cerebral em todos ...e ditam regras de comportamento...sao pequenas mensagens subliminares incutindo conceitos erros e distorcidos na cachola de milhoes de pessoas diariamente, e como alimento de 3 em 3 horas uma nova batida!

Asahi disse...

Falando em atuação, cá entre nós, esse pessoal anda muito do ruim com marcações de "palco". Fora a "ótima" atuação quando se trata de dançar ou escandalizar.
Até nas conversas o negócio fica esquisito, mó artificial.

Quanto a história de séries (sejam de que pais for) ou filmes, eu acho que não são postas como vilãs porque não fazem parte do dia-a-dia da maior parte da população brasileira. Já que Malhação e The OC (por exemplo) só tem uma diferença: as legendas.

Jose Carlos disse...

Eu reescreveria sua primeira recomendação pro Ministério da Saúde...

1) Famílias desestruturadas e desmoralizadas geram jovens acéfalos que acreditam em qualquer coisa que vêem na TV - inclusive novela.

2) O sistema educacional ridículo brasileiro gera jovens acéfalos que acreditam em qualquer coisa que vêem na TV - inclusive novela.

Henrique Artur Wint disse...

Anualmente as mesmas histórias batidas se repetem fazendo com que o telespectador grave profundamente todos os mesmo velhos clichês e transporte isso a sociedade. O que temos por final é uma padronização e massificação da sociedade. Televisão é um mal que deveríamos evitar.

Diego Matias disse...

nem sei quanto tempo faz que não vejo novelas... na verdade, quase não vejo mais tv...

José Vitor Rack disse...

esse seu preconceito com as novelas é tolo e sem fundamento. nem todas as novelas são iguais. novelas como ROQUE SANTEIRO, O GRITO, O REBU, BETO ROCKFELLER, ARAPONGA, O SALVADOR DA PÁTRIA, VIDAS OPOSTAS, O BOFE, e muitas outras foram ousadas, experimentais e muito mais benéficas à sociedade que filmes de pretensa denúncia, que se rendem à estética da fome.

novela é obra de ficção e como tal deve ser encarada. os males do mundo não serão extirpados com uma mudança nas novelas.

filmes idiotas americanos são bem aceitos por serem cinema. uma novela bem escrita e bem produzida é inferior em quê?

preconceito é uma merda.

SINOPSE INACABADA

IDÉIA NOVA

Jaded disse...

As novelas estão em crise, e a tv está percebendo isso. Mas do seu jeito torto eles vão tentando dar um jeito na coisa toda. A Record toscamente imitando séries de sucesso americanas, e o Globo permitindo um pouco mais do Real nas suas minisséries que passam num horário que o grande público não vê. Foi assim com a serie Queridos Amigos, pra quem pode ver. E acho que as novelas sempre falam das mesmas coisas porque nossas vidas de fato sempre são as mesmas coisas!! Oras, nascemos vivemos e morremos, e a linha de base na vida de 90% da população não muda, é sempre igual: nascimento, juventude, farras, amor, casamento, filhos...

Samara Spuldaro disse...

Acho novela uma grande perda de tempo, porém não podemos descartar que no meio tv a novela não é a única respónsável por lavagens cerebrais, já no meio impresso temos exemplos nos jornais e revistas cheios de interesses... e se não nos cuidarmos virá para o meio digital!!!

Alaor disse...

O formato da novela de 6 dias na semana influencia e muito para uma alienacao e doutrinacao mental, pois as pessoas se indenticam com atores e personagens durante os 10 meses de exibicao de uma novela. Mas nao se enganem, esses 10 meses na verdade sao 40 anos de telenovelas distorcendo valores da sociedade brasileira.

Atualização: aos finais de semana
powered by eu mesmo ®