01 agosto 2008

Vote com consciência, mas haja paciência!

Estamos em 2008, ano eleitoral. E não é pouca merreca, diga-se de passagem, pois tratam-se das eleições para escolha de prefeitos e vereadores. Lembram o que isso significa? Pois isso representa uns “sei lá quantos” mil candidatos de sorriso colgate enchendo diariamente nosso saco por votos em todo o território nacional. Eles estão chegando de mansinho, já começamos a ver nas nossas cidades as primeiras carrancas emporcalhando fachadas, chão, postes e quaisquer outros espaços “disponíveis”.

Muito em breve, coisas bizarras aparecerão também na TV, para a alegria dos diretores de programas humorísticos. Figurinhas das mais variadas surgirão na sua casa, desde pobres miseráveis com uma cartolina na parede e em um estúdio mal iluminado à disposição, até os mais ajeitadinhos, manipulados por marketeiros eficientes e de rostinhos impecavelmente maquiados pelas melhores bichas do mercado.

Ainda é cedo, e por enquanto, bem poucos cartazes arruinam o urbanismo das nossas cidades, tais como uma fina garoa que não molha ninguém. Mas eis que virá o tempo em que a tormenta apocalíptica lançará sobre a terra toda a sua fúria, e dragões de dez cabeças e sete chifres arrastarão com suas caudas a terça parte das estrelas do céu, que cairão sobre a terra em forma de toneladas de santinhos. Ainda que todo aquele papo ambiental esteja na moda, uma quantidade absurda de papel cuja única utilidade será entupir bueiros, serão espalhadas pelas ruas. Aliás, será que nunca antes na história deste país alguém pensou nos benefícios de um decreto proibindo isso?

E como gostam de gerar lixo! Alguém precisa avisá-los que quase ninguém escolhe candidato por um cartaz! Não é simplesmente porque simpatizei com este ou aquele sorriso amarelo que vou votar no seu dono. Não me perguntem como, mas deve haver uma maneira mais inteligente de se fazer popular do que esse método via lavagem cerebral. Enquanto nenhuma mente brilhante encontrar outra maneira, continuaremos presenciando os velhos e surrados clichês eleitorais. Sorte das criancinhas, que ainda vão ganhar muito colo.

E não se esqueça de prestigiar as propagandas na TV dos candidatos do seu município. Prepare a pipoca e chame os amigos, pois será diversão garantida.

2 comentários:

lequita disse...

é... haja paciência... mas o pior mesmo será escolher em qual candidato votar!

Léo Fernandes disse...

Aqui no Rio, cartazes fixos são proibidos, o que gera empregos: alguém tem que ficar segurando o cartaz ou, pelo menos, fingindo que o segura.

Claro que isto não é seguido no território estrangeiro das favelas.

Atualização: aos finais de semana
powered by eu mesmo ®